Os responsáveis das finanças da Alemanha, Espanha, França e Itália endereçaram uma carta a Bruxelas a propor uma harmonização fiscal que garanta que os gigantes digitais como a Amazon, Apple, Google e Facebook paguem impostos de acordo com as receitas que fazem localmente.

 

Esta medida, que funcionaria como uma espécie de “taxa de internet”, pemitiria uma harmonização fiscal, com as empresas a pagarem impostos no local onde são realizadas as receitas, ao invés do que acontece atualmente, em que as empresas pagam impostos tendo em conta os lucros, sediando os lucros numa filial da empresa localizada num país com baixas taxas de imposto, como por exemplo a Irlanda.

A carta enviada a Bruxelas foi assinada pelos ministros das Finanças da Alemanha (Wolfgang Schäuble) e da Itália (Pier-Carlo Padoan), e da Economia de França (Bruno Le Maire) e de Espanha (Luis de Guindos) e propõe que Bruxelas “explore as opções para a criação de um imposto harmonizado sobre o volume de negócios gerado na Europa pelas empresas digitais”.

De acordo com a carta, os Ministros dos quatro países consideram que é a “eficiência económica que está em jogo, assim como a equidade fiscal e a soberania” na União Europeia. “Já não devemos aceitar que estas empresas façam negócios na Europa enquanto pagam montantes mínimos de impostos aos nossos Tesouros”, concluíram.

Fontes: Reuters e Público