A analista de mercado IDC divulgou um estudo sobre a transformação digital no sector dos seguros e concluiu que a maturidade deste tipo de entidades é superior à das restantes empresas e organizações em todas as dimensões analisadas.

 

Ainda assim, a maioria das seguradoras encontra-se no segundo e terceiro patamar de transformação digital, denominados “Oportunista” e “Repetitiva”, podendo ainda desenvolver-se para níveis superiores, como “Gerida” e “Otimizada”.

No que diz respeito a tecnologias particulares, a maioria dos inquiridos destaca como decisivas a mobilidade e as tecnologias associadas ao “big data” e à analítica de negócio.

Quanto a objetivos de investimento, as seguradoras estão particularmente interessadas em serviços de “cloud computing” e redes sociais, bem como IoT.

De acordo com o estudo, também em Portugal, e após uma fase inicial em que as empresas realizaram a implementação de projectos-piloto ou de provas de conceito relacionadas com as tecnologias da 3.ª Plataforma, as empresas começam a equacionar a introdução destas tecnologias para a transformação digital dos seus processos e actividades de negócio.

Fonte: Jornal de Negócios